Prefeito decreta estado de calamidade e programa reabertura de indústrias a partir do dia 13

 

             A Prefeitura de Franca anuncia novas medidas relacionadas ao controle do Coronavírus na cidade. Nesta terça-feira, 7, em edição extra do Diário Oficial, o prefeito Gilson de Souza decretará estado de calamidade pública no município e fará a atualização do decreto municipal que impõe medidas restritivas para o funcionamento de indústrias na cidade.
             O setor comercial permanece fechado até dia 22 de abril, conforme decreto estadual, e as indústrias devem permanecer fechadas mais esta semana, podendo retornar ao trabalho a partir da próxima segunda-feira, 13, de maneira gradual e seguindo medidas de segurança para preservar a saúde dos funcionários e evitar a contaminação pelo Covid-19.
             A decisão foi tomada após várias reuniões entre o prefeito Gilson de Souza, secretários municipais e representantes do Sindifranca (Sindicato da Indústria de Calçados de Franca) e Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Calçados de Franca. "Esta semana é mais curta, por conta do feriado de Páscoa, então definimos que as fábricas ficariam paradas mais esses dias para se reorganizarem e voltar de modo a proteger os trabalhadores", disse o prefeito Gilson de Souza.
             A quarentena nas fábricas terminaria hoje, 7, mas será prorrogada até o dia 12. Assim, a partir de segunda-feira, 13, as indústrias francanas poderão retomar as atividades, seguindo regras.
Indústrias que possuem até 50 funcionários deverão adotar turnos de trabalho, de modo a evitar aglomeração, oferecer álcool em gel para a higienização das mãos, antebraços e braços, realizar a limpeza sistemática dos postos de trabalho, determinar o afastamento de pessoas de grupos de risco (idosos acima de 60 anos, gestantes, hipertensos, diabéticos, pessoas com sintomas de gripe e outros), além de atender outras exigências.
             Já as indústrias com um quadro superior a 50 funcionários, para que possam reabrir, precisarão apresentar um plano de trabalho atestado por um médico estabelecendo ações de segurança e cuidados com a saúde dos funcionários (como a medição da temperatura corporal dos mesmos) frente aos riscos da pandemia do Coronavírus.
             O decreto recomenda ainda que os sindicatos de variados segmentos acompanhem junto aos trabalhadores o cumprimento das medidas, bem como as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde), Ministério da Saúde, Secretaria de Saúde Municipal e Estadual e do Comitê Municipal de Combate a Pandemia COVD-19.
COMÉRCIO
             O setor comercial da cidade também deve seguir em quarentena. Ontem, o governador João Doria prorrogou a medida em todo Estado de São Paulo até o dia 22 de abril, e Franca tem que seguir a determinação, assim como os outros 644 municípios paulistas. O decreto do governo estadual prevalece e tem que ser cumprido.
             Em Franca, a Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca) apresentou um plano de trabalho propondo medidas de segurança para que as lojas possam reabrir. O documento será apresentado pelo prefeito Gilson de Souza ao governo de SP na tentativa de encontrar alguma flexibilização para o comércio francano voltar a funcionar antes.
             O decreto municipal da edição extra do Diário Oficial desta terça-feira também irá abordar essa questão, e reiterar os segmentos que estão autorizados a funcionar neste momento de pandemia, como o setor alimentício.

Reunião com indústria e trabalhadores

 

            Dando continuidade ao diálogo com os segmentos representativos da cidade, conforme orientação do prefeito Gílson de Souza, na tarde dessa quinta-feira um novo encontro ocorreu no Parque Fernando Costa. Pelas autoridades da saúde foi recomendado a continuidade do isolamento social e os Sindicato da Indústria e dos Trabalhadores deverão continuar analisando as opções sugeridas, com o Plano de Trabalho obedecendo alguns cuidados em relação redução de pessoas nos ambientes, turnos, entre outras medidas.

            A mediação do Ministério Público Federal que fora sugerida na reunião anterior, pela Promotoria de Justiça, não foi solicitada pelas entidades. Acordaram aguardas as deliberações do Governo Estadual para novamente sentarem e buscar um saída consensual mas que não represente tanto risco de contaminação e risco a saúde das pessoas.

Projeto dos Servidores é reapresentado à Câmara

 

     O projeto de Lei de autoria do prefeito Gílson de Souza, enviado no começo dessa semana tratando da reposição salarial dos servidores e retirado na quinta-feira, foi reapresentado na Câmara na tarde dessa sexta-feira. A decisão de retirá-lo na noite anterior, foi prudencial e deveu-se a um conjunto de boatos que começaram a circular, apontando que continha algumas incorreções e benefícios que não condiziam com a situação de dificuldades que a cidade atravessa.
    Feitas as verificações e constatado que nada irregular existia, tratando unicamente de um projeto conduzido com toda transparência, formatado após discussões exaustivas com os servidores, que dispõe sobre a reposição inflacionária da categoria, o prefeito conversou com o presidente do Sindicato dos Servidores, tranquilizando-o bem os colaboradores. O projeto foi protocolado à tarde no Legislativo para que seja apreciado e votado conforme estava programado, sem prejuízos e dentro da legalidade.

Prefeitura Municipal de Franca

Todos juntos, governo e população, seguindo em frente Compartilhando e Avançando de bem com Franca.
logo ipv6br fundo transparente facehost

Contato

  Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
 (16)3711-9000
 Rua Frederico Moura, 1.517 - Cidade Nova - Franca/SP - Cep: 14401-150 CNPJ:47.970.769/0001-04 - I.E: isento

Redes Sociais